terça-feira, 11 de agosto de 2015

5 PASSOS PARA SEGUIR EM FRENTE


Confesso que, por muitas vezes, de olhos fechados e coração apertado, me pego desejando de uma maneira tão tola quanto infantil uma segunda chance. Às vezes, uma terceira ou quarta. O problema da gente é que pra ter certeza que alguém não vale a pena temos que esgotar nossas possibilidades, ir ao fundo do poço, chorar de calcinha a noite inteira agarrada ao travesseiro. Temos uma tendência de superestimar o que sentimos e, principalmente, por quem sentimos. O que alguém pode ter de tão especial pra nos fazer tão frágeis? O segredo é justamente esse: a importância que damos a elas, e não, quanto elas realmente importam.
Por essas e outras vezes em que fiz do amor um jogo e me perdi tentando ganhar quem, talvez, sequer estivesse ao meu lado, vou listar o que aprendi sobre como seguir em frente.
1) Seja sua prioridade.
Com certeza você já deve ter ouvido o ditado que diz “Não dê prioridade há quem lhe trata como opção”, e eu o achava uma verdade absoluta. Acontece que ninguém merece ser uma prioridade acima de você mesma. Às vezes, a gente troca a vontade de ter um amor pra chamar de seu pelo direito de ter um que chamamos de próprio. Eventualmente, deixamos de nos moldar, deixamos de ser uma parceria, uma combinação de gostos, pra nos tornamos um fantoche. Não podemos culpar aos outros se ao final da nossa história nos perdemos em tantos abraços e esquecemos de nós. Ninguém deve valer mais do que você pra si mesmo.
2) No passado não se ama.
A maioria de nós não sabe o que passado realmente significa e por isso se prende pelas desventuras de outra época, se culpa pelas rupturas que não se fecharam. Mas a verdade é que não dá pra seguir em frente enquanto uma memória continua viva. Não dá pra amar no presente quem se faz ausente. Se apegar às lembranças boas, à saudade que lateja e discussões de apego é mero consolo. Você se deslumbra com uma situação inexistente, cria sentimentos calejados pela imaginação e se martiriza sem sequer ter motivos.
3) Não existe fase para namorar.
Quando alguém lhe desperta o interesse, você o quer por perto. Quando alguém lhe faz bem, você o quer todos os dias. Não importa se terminou um relacionamento há 5 dias ou 5 anos; o amor não é pontual. A gente ama quando nos convém, quando nos sufoca por dentro. A gente ama de graça, não tem roteiro, nem receita. Simplesmente acontece. Se você, por alguma razão, está decidida a não se envolver novamente, então não dê oportunidades pra que isso aconteça. Mas, honestamente, deve se perguntar o que há de tão ruim em se apaixonar novamente? Do que você tem medo? Não tem fórmula mágica pra escapar do sofrimento, a vida dá mesmo umas belas bofetadas pra que a gente aprenda a se levantar, então, é muito melhor ter ao menos alguém pra dividir o peso da caminhada.
4) Valorize seu tempo.
Já nem conto o tempo que perdi investindo a fino trato em que sequer me via como uma opção. Às vezes, a gente quer tanto que alguém nos note e nos valorize que deixamos pra trás o real valor que temos. Não tem nada de errado em desistir vez ou outra. Nem todo mundo merece nossa insistência, e nem toda persistência é sinônimo de coragem. Quando uma história não lhe rende mais bons momentos (e só passageiras saudades) é a hora de avaliar se não devemos seguir em frente. Tem gente que não vale o desperdício de tempo, tem gente que não aprende. Deixe pra trás quem nunca te puxou pra frente.
5) Se lamentar é auto-piedade.
Não há nada pior do que alguém que procura nos outros mais do que está disposto a mudar em si. Veja bem, em nenhuma relação existe certo e errado, vítima e culpado. Em geral, relacionamentos são feitos de idas e vindas, perdas e ganhos. Amor é sobre completude, equilíbrio e adversidades, claro. Não dá pra taxar o que não conseguimos entender como errado. Tem que se ter, sobretudo, respeito. Então, não se sinta pena de si mesmo por ter criado expectativas que não foram supridas por outros. Pessoas são livres, e por isso nem sempre são capazes de corresponder à altura. Acontece. Vida que segue.
--------------------------------------------------------------------------------------

  Samantha Silvany


Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.